Janeiro 26, 2021

É importante começar desde cedo a incutir nas crianças a importância do dinheiro.

Uma das prioridades das famílias é educar mais e melhor os filhos e no que toca à educação financeira, não deve ser exceção e deve começar desde cedo e em família.

Acho que a educação financeira tem de fazer parte do dia-a-dia dos mais pequenos, para que eles se tornem adultos mais responsáveis e conscientes no que diz respeito às decisões financeiras e percebam que:

 

1 – O dinheiro não nasce das árvores… muito pelo contrário! O dinheiro surge através do esforço e do trabalho dos pais e dá muito, muito trabalho a ganhar. E eles devem ter noção deste esforço.

 

2 – O dinheiro é para gerir e não para gastar sem pensar. Deve criar rotinas para que os vossos pequenos percebam que o dinheiro não pode ser gasto sem limite. Envolva-os na sua rotina e deixe-os dar a palavra deles em pequenas decisões. No caso de já terem idade para tal, dê-lhes uma pequena semana – um valor bem simbólico é mais do que suficiente.

 

3 – Grão a grão enche a galinha o papo! As crianças devem ter um mealheiro, onde vão juntando o dinheiro que recebem da família e em ocasiões especiais, como o Natal e os aniversários. Quando o valor o justificar, pode abrir uma conta no banco, ou fazer um depósito. Envolva a criança neste processo, pois isto vai ser essencial para compreender o conceito de poupança.

 

É importante que exista um diálogo constante com a criança para que ela se sinta envolvida na aprendizagem.

Podemos e devemos enquanto pais ter um papel ativo nesta passagem de bons hábitos e de ajudar a preparar a criança desde cedo incutindo certos hábitos fundamentais que envolvam o dinheiro, que pode passar por exemplo, pela criança fazer parte do processo da criação do orçamento para as compras da alimentação lá de casa. Isto é o mesmo que dizer que a criança deve saber que na lista existem bem de primeira necessidade que são prioritários nas compras e quais os preços.

Pode também se o seu filho(a) ainda não tem um mealheiro está na altura de o ter para que possa perceber de onde vem o dinheiro e o porquê de estar a colocar o dinheiro no mealheiro, qual a sua importância.

As crianças devem ter um mealheiro, onde vão juntando o dinheiro que recebem da família e em ocasiões especiais, como o Natal e os aniversários. Devem perceber a importância desse mesmo mealheiro, para a concretização de objetivos, objetivos esses que deverão ser elas mesmos a criar.

Sempre que achar por bem e o valor justificar, abra uma conta poupança associada à sua conta à ordem com a finalidade de amealhar dinheiro para a criança.  Pode e deve envolver a criança em todo o processo, pois ela vai-se sentir importante e é essencial para poder compreender a importância e valor do dinheiro, bem como, da poupança e num futuro fazer toda a diferença, quando for ela ou ele a gerir o seu próprio dinheiro.

Outros artigos

A educação financeira deve começar a ser ministrada aos mais novos pelos pais, em casa, desde tenra idade. A importância …

A educação financeira pode e deve começar no seio da família. Em determinadas idades a aprendizagem é mais fácil se …

Em certas idades as crianças gostam de estar sempre a brincar e nós pais podemos e devemos fazer parte dessas …

A educação financeira deve começar a ser ministrada aos mais novos pelos pais, em casa, desde tenra idade. A importância …

A educação financeira pode e deve começar no seio da família. Em determinadas idades a aprendizagem é mais fácil se …

A educação financeira deve começar a ser ministrada aos mais novos pelos pais, em casa, desde tenra idade. A importância …

A educação financeira pode e deve começar no seio da família. Em determinadas idades a aprendizagem é mais fácil se …